segunda-feira, 6 de maio de 2013

1 Ano (mas já?!?!) - parte I: das Decisões

Na gravidez, quando P. nasceu, nos primeiros meses eu nem pensava na festinha, só sabia que faria. Sempre quis comemorar, pelo simples fato da comemoração em si desse milagre que é a vida. Foram anos de expectativas, 9 meses de espera e 12 meses de puro amor, vendo cada desenvolvimento desse serzinho, cada mudança no rosto, cada descoberta...tem como não comemorar?!

No final do ano passado eu já estava louca achando que tinha demorado muito para começar a pensar, disparei pedidos de orçamento, decidi fazer em casa, depois decidi pelo salão, pensei em buffet, na casa de parente, em parque, café, McDonald`s...até que fechamos com o salão do prédio. Aí veio o dilema dos convidados, chamamos geral? Só os mais chegados? Só a família? Só as crianças? Só nós três?

Fechamos família + amigos chegados + amigos com crianças. Nisso percebemos que o salão ficaria pequeno, aí voltei a cogitar a ideia de alguar um espaço, fechar com um buffet, McDonald's... mas logo desisti porque 1) eu, e marido tbm, queríamos uma comemoração em família, pequena, íntima, centrada no nosso pequeno e com o intuito de reunir apenas os mais chegados para celebrar essa data 2) tínhamos poucas crinças convidadas, P. estava fazendo 1 ano e portanto um buffet com 350 atrações ficaria quase parado (nada contra quem opta por buffet, eu mesma sei que em breve irei optar por um, mas acho que agora a nossa ideia e a realidade não era essa) 3) se alugasse apenas um espaço maior (tipo salão só salão mesmo) teria que fazer uma logística para levar tudo, não teria a facilidade de pegar o elevador pra buscar algo que esqueceu ou para arrumar as coisas com calma.

Decidido convidados e local, começou a correria, isso porque em meados de fevereiro minha sogra que estava ajudando a tomar conta de P. durante a semana teve que ir tormar conta da mãe dela recém operada. Resultado: fiquei sozinha na semana para trabalhar (em home office com o freela), cuidar de P., cuidar da casa e decidir os preparativos da festinha.

Minha organização, com lista de tarefas, cronogramas, etapas para cumprir, datas limites, tudo foi por água abaixo. Mas consegui fechar os itens principais e, na minha opnião os mais difíceis, com bastante antecedência:

- fotógrafo: pra mim, que também trabalho na área, foi uma das tarefas mais difíceis. Difícil escolher, confiar e gostar de verdade do estilo. Pesquisei internet a fora, analisei minuciosamente cada portifólio, pedi um trilhão de orçamentos... precisava de qualidade mas também de um preço que coubesse no meu bolso;
- tema e estilo da decoração: escolhemos um tema inspirado nos Backyardgans, mais puxando pro lado do Quintal - por ter relação com o desenho; por todo o simbolismo, pq acho que representa descobertas, liberdade, conhecimento e também porque ele ama o Quintal da Cultura;
- fornecedor de decoração: e aí foi difícil porque queria fugir da decoração padrão, queria algo meio estilo festinha caseira americana. Aí gostei do estilo provençal, queria algo clean, com o colorido nos detalhes, tons alegres, mas não cansativos e por isso penei para achar, até que optamos por uma decoradora no estilo provençal e aí sim eu pude "criar" toda a festinha que eu queria. Escolhi cada cor, detalhe, personalização, etc.;
- lembrancinhas paras as crianças: queria fugir das guloseimas, uma vez que eu mesma levanto a bandeira da alimentação saudável e com o mínimo de doce - ao menos nos primeiros aninhos, mas também queria que fosse original, descolada, diferente e, também muito importante, que fosse barata porque afinal é só uma "lembrancinha";
- lembrancinhas para adultos: para os avós, bisavós e titios uma lembrancinha especial e para os amigos dos papais e primos, uma lembrancinha tradicional daquelas que vai a fotinho da criança e um versinho;
- cardápio: queria inovar, queria pirar, queria voar, queria contratar o Alex Atala, mas aí caí na real, fui no prático-gostoso-pagável: salgadinhos. Decidi pelo mesmo buffet que comprei os salgados do chá de bebê do P.  e que eram deliciosos (que depois que ele nasceu até compramos alguns salgadinhos pra estocar e servir pra quem vinha visitar, rs). Masssss, tivemos uns detalhes diferentes, de coisinhas que pesquisei e pirei e que tive a ajuda da família pra colocar em prática.

Enfim, o post tá enorme, na segunda parte detalho como ficou cada um desses itens e mais algumas outras coisas. A madrinha do Pablo tinha me dito uma vez que "festinha de 1 ano dá um trabalho" e na hora não entendi, porque pra mim tava tão certo que seria só uma festinha, simples, colorida, aconchegante, mas o que esqueci é "o aniversariante tem só 1 ano" e como conseguir arrumar tudo, trabalhar, cuidar da casa, do bebê, de você, do mundo...tudo ao mesmo tempo?




Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comente